Astroletiva Escola de Astrologia

A Astroletiva na voz de quem faz os cursos

Em novembro/dezembro de 2013 a Escola Astroletiva fez uma pesquisa com os participantes de seus cursos regulares. 93 pessoas - uma amostra bastante significativa - responderam à pesquisa, permitindo que fosse traçado um retrato acurado da expectativa do público em relação à escola. Eis os resultados.

Pesquisa 4

Comentário: Ok, vocês venceram! A esmagadora diferença de votos entre as opções mostra que as razões de ordem didática devem se sobrepor aos de ordem estética. Nossos próximos mapas serão sempre bem detalhados!

Pesquisa 5

Comentário: De uma forma geral, os respondentes apontaram a necessidade de mais oportunidades para testar as técnicas e compreendê-las em contextos práticos. A soma dos que pediram mais atividades práticas e mais tutoriais alcança 60% dos votantes - uma maioria inequívoca. Contudo, causa surpresa a pouca importância dada às oportunidades de interação. No ensino a distância, a tendência mais moderna é exatamente a da formação de comunidades de conhecimento, com ênfase nos mecanismos de colaboração. A tendência de Astroletiva também é seguir nessa direção, mas os resultados da pesquisa indicam que a transição deve ser feita de maneira cuidadosa e de forma não impositiva.

Pesquisa 1

Há duas formas de interpretar esses resultados. A primeira, mais conservadora, é considerar que 88% dos respondentes ainda prefere fazer cursos no bom e velho computador doméstico. A outra leitura possível: temos hoje 47% de alunos que já fazem uso de dispositivos móveis. A conclusão: o uso de dispositivo móveis está crescendo rápido. Mobilidade não é - ainda - a prioridade zero de nossos alunos, mas é preciso que comecemos a investir nesta direção antes que seja tarde.

Pesquisa 2

Comentário: os dados confirmam as respostas à questão anterior. O uso de tablets e smartphones ainda é minoritário, mas é preciso começar a pensar em layouts responsivos.

Pesquisa 3

Comentário: o Android tende a afirmar-se como padrão entre os dispositivos portáteis. Sinal de que Astroletiva deve evitar, na medida do possível, o uso de recursos multimídia não compatíveis com esse sistema operacional. Mais especificamente, temos de deixar de lado as animações em Flash. Ponto para Astroletiva, que sempre evitou o Flash por outros motivos!

Pesquisa 6

Comentário: nas escolas presenciais de Astrologia, são raros os estudantes com menos de trinta anos. A faixa predominante vai dos 35 aos 55 anos, havendo também um grande contingente acima desta idade. Em Astroletiva não é diferente: 44% dos alunos estão entre 36 e 55 anos, e outros 34% acima dos 55 anos. Adicionalmente, Astroletiva confirma uma tendência presente no ensino a distância, em geral (de qualquer área): a atração de alunos na idade madura e, em quantidade cada vez maior, também na terceira idade. Em outras palavras, Astroletiva está exatamente dentro do perfil esperado.

Isto não significa que a escola não seja capaz de atrair e reter alguns alunos muito jovens, na faixa dos 20 anos. Ocorre que o ensino a distância exige um nível de disciplina e organização pessoal mais comum em estudantes maduros, que já acumularam todo o "know-how" do processo de escolarização e encontram-se em fase de aperfeiçoamento ou reciclagem de conhecimentos. A associação entre maturidade e ensino a distância é uma tendência mundial, e vem sendo objeto de diversas pesquisas acadêmicas.

Pesquisa 7

Comentário: Pouco mais de 3 em cada 10 alunos de Astroletiva estão estudando Astrologia pela primeira vez. São, principalmente, os participantes dos cursos de nível Fundamentos (os cursos básicos), e normalmente já trazem a experiência acadêmica e profissional de outras formações. Por outro lado, 65% já trazem uma bagagem de conhecimentos estruturados, sendo 55% na condição de alunos de escolas presenciais ou membros de grupos de estudo pré-existentes e outros 10% na condição de astrólogos atuantes em busca de reciclagem. Trata-se de um público com um leque muito variado de expectativas e formações. Na prática, é possível dizer que Astroletiva atende a dois grandes segmentos bem distintos: o iniciante, que deseja conhecimento estruturado, e o "retornante" que chega com necessidades bem específicas e um foco de estudos claramente definido.

Pesquisa 8

Comentário: Quando cruzada com as respostas anteriores, a resposta a este tópico permite duas conclusões imediatas. A primeira diz respeito à expectativa dos respondentes, que ainda veem a participação num curso a distância como uma experiência basicamente solitária (o que não precisa necessariamente ser verdade). Em outras palavras: a possibilidade de interagir e trocar conhecimentos através de uma comunidade virtual não constitui uma motivação relevante para 93% dos participantes. A segunda conclusão tem relação com a motivação majoritária (praticidade e possibilidade de fazer o próprio horário), que reforça a noção de que o típico participante dos cursos de Astroletiva é o estudante ou pesquisador maduro, com vida profissional definida e tempo apertado.

Os resultados quantitativos da pesquisa, somados às sugestões recebidas por escrito, estão alimentando o processo de revisão do design instrucional dos cursos já existentes e influenciando a escolha de metodologias para os novos cursos. Ao longo das próximas semanas, voltaremos ao tema, com mais detalhes.

Veja também:

 

Terra do Juremá Contato | ©1999-2014 Terra do Juremá Comunicação Ltda.